Resenha: Impiedoso, Diana Palmer (Releitura)

Título: Impiedoso
Autora: Diana Palmer
Editora: Harlequin/ Rainha do Romance


Sinopse


Alto, moreno e bom partido?Era tudo o que importava para as mulheres de Jacobsville quando se tratava do belíssimo e distante agente do FBI Jon Blackhawk. Mas se dependesse dele, jamais constituiria família. Por sorte, Jon tinha uma guardiã: Joceline Perry, sua assistente eficiente e confiável. Sem sua ajuda, ele poderia ficar à mercê de uma caçadora de marido qualquer. No entanto, quanto mais Jon confiava nela, mais percebia o quanto Joceline era importante de verdade...
Ela também não conseguia negar como se sentia atraída pelo chefe, mas, como mãe solteira, tinha o dever de ser profissional. Contudo, quando Jon ficou na mira de uma vingança, ela estava ao seu lado para socorrê-lo, alimentando ainda mais a chama da paixão entre eles. À medida que o perigo aumentava, Joceline se tornava mais presente. Porém, quando a poeira abaixasse, será que o homem que sempre havia evitado o amor aceitaria que tudo de que precisava sempre estivera ao seu lado? 


        Estou naquele momento de releitura desses romances antigos, que por sinal confesso: tenho coleções. Queria ler algo leve e descontraído e lembrei-me desse livro, por sinal, essa autora lança tantas séries que não sei explicar a qual essa obra pertence* e uma critica, a editora podia ser mais coerente e numerar os romances ou fazer algo similar.
        Irei começar pelo ponto negativo que encontrei nesse exemplar. Primeiro o título não agrega significado algum para o romance, tal peculiaridade é devido ao “vilão” da obra, que pelo que percebi esta presente em outro livro que de acordo com minhas pesquisas conta a estória do irmão mais velho desse protagonista. Claro, que essas tramas podem ser lidas de forma individual, pois não compromete em nada a leitura. Segundo, achei que a autora quis colocar muita informação sobre a cultura indígena dos Estados Unidos da América (EUA) e isso se torna um bocado cansativo.
        Os pontos positivos nessa releitura é que Jon, que é um investigador Sênior do FBI, é maravilhoso. O cara é viril, másculo e ao mesmo tempo doce e paciente. Sim, sou dessas inúmeras românticas que sabem que esse homem sensível e perfeito não existe, mas que suspira apaixonada pelos cantos imaginando o personagem. Ele é descendente de indígenas e ao contrário do que possa parecer à autora fez todo o enredo girar sobre a investigação criminal, então o cenário tem doses certas de romantismo, sem toda aquela “pegação” tão comum nesse estilo de gênero literário.
        A mocinha foge um pouco dos padrões, pois ela é mãe solteira e também há um sutil suspense sobre o pai da criança, mas o foco não é esse e a misteriosa paternidade é bem dedutível pelo estilo de escrita de Diana Palmer, ou para quem ler ou já leu narrativas semelhantes.
        Por fim, para quem quer ler uma estória em único dia e com um final feliz; eu indico essa obra. Se leu, não deixa de comentar!

* Consegui informações sobre a série nesse blog: Romantic Girl

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Realmente, o título não combina com o livro, já que de Impiedoso o mocinho não tem nada, hehe!
    Obrigada pela referência ao meu blog, é uma honra!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    ROMANTIC GIRL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada você por me esclarecer a série através do seu blog. Beijos!

      Excluir

Google+ Followers