Resenha: Outlander 1ª temporada (Série)


Série: Outlander  
Emissora: Starz 
Episódios: 16 
Duração: cerca de 64 min cada 

Sinopse da série
Claire Randall é uma enfermeira em combate em 1945. Ela é misteriosamente transportada através do tempo e mandada para 1743, e sua vida passa a correr riscos que ela desconhece. Forçada a se casar com Jamie Fraser, um cortês e nobre guerreiro escocês. Um relacionamento apaixonado se acende, e deixa o coração de Claire dividido entre dois homens completamente diferentes, em duas vidas que não podem ser conciliadas.
Sinopse do livro que é baseado a série
Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente? 



RESENHA DA SEGUNDA TEMPORADA CLIQUE AQUI


Minhas impressões



Desde que vi a propaganda dessa série me interessei pela mesma, todavia nunca conseguia tempo suficiente para sentar e assistir. Essa é baseada em uma série literária com o mesmo nome (Outlander) que no Brasil foi traduzido o título como A viajante do tempo, cuja autora é Diana Gabaldon. Gostaria de dizer que mesmo devorando livros, antes de conhecer o seriado não recordo de ouvir ou ler algo sobre autora nos blogs amigos ou mesmo na internet.
A série é contada através da perspectiva de Claire (Caitriona Balfe) que foi enfermeira na segunda guerra mundial. Quando em 1945 é declarada a “paz” ela volta para os braços do esposo Frank Randal (Tobias Menzies) e é nessa fenda do tempo que aventura começa.
No século XX nossa protagonista é casada e após a guerra, como forma de se conhecerem novamente depois de cinco anos separados em decorrência da batalha, Clarie e Frank decidem que merecem uma segunda lua de mel e vão para a Escócia. Seu esposo Frank está neurótico pesquisando sobre seus antepassados, inclusive quando descobre o seu ancestral direto; o inglês e capitão do exercito britânico Jonathan Randall. Através das cenas é retratada a cultura de um povo, suas crenças e religiões e conforme a curiosidade de Claire e de seu esposo aumentam eles acabam indo por veredas incertas. Então, escondidos presenciam um ritual pagão, um culto aos druidas que acontece no monte Craigh na Dun. Após esse acontecimento nossa protagonista retorna sozinha ao local “sagrado” ouve barulhos vindos da pedra mais alta e ao toca-la é transportada para a Escócia de 1743.
Na minha última resenha sobre séries listei os motivos ao qual se deveria assistir tal obra, nessa vou colocar os tópicos que me fizeram devorar a primeira temporada e basicamente concluir a segunda e espero que os mesmos sejam atrativos para vocês.
Um dos pontos altos da série é a veracidade das circunstâncias, o século XVIII é reproduzido com enorme cuidado, mostrando o moralismo, o machismo predominante, a religiosidade e o medo pelo diferente, por aquilo que não se conhece. Ao ser transportada para uma época totalmente diferente da sua e ser salva de imediato pelo nosso apaixonante Jaime Fraser (Sam Heughan) das garras do capitão Jonathan Randall que é um dos vilões mais cruéis e difíceis de morrer que já vi, além claro, de ser o descendente direto do seu marido do século XX, somos seduzidos pelas particularidades e cuidados no texto, no figurino, no cenário e na ambientação. Em um determinado episódio as cenas e a estória são tão realistas que traduzem como a mulher era vista pela sociedade, ou seja, quando essa se casava tornava-se propriedade do marido, dando autoridade para esse até mesmo disciplina-la caso fosse necessário.
Outro ponto não menos importante é que nossa heroína não é prepotente, ambiciosa ou vaidosa. A consciência do período histórico que esta são válvulas impulsionadoras para retornar para o seu século, entretanto conforme essa começa a amar Jaime e aceitar o local que se encontra tais conhecimentos medicinais são usados para ajudar os cidadãos. Ela não usa a época para se vangloriar ou mesmo se aproveitar dos indivíduos, ela mantém sua integridade e opta por fazer de tais terras seu lar.
Fui cativada também pelo período histórico que Clair foi transferida. Nesse vivenciamos o abuso de poder pelos homens, a posição dos “casacas vermelhos”, a superioridade do exercito britânico, a ousadia dos escoceses em querer ver os “Stuarts”” novamente no reinado e a preparação para a revolta dos “Jacobitas” que teve como marco histórico as rebeliões e motins dos escoceses para com a monarquia inglesa. A credibilidade nessa série vai além do romantismo vivenciado por Claire e Jaime, essa transmite conteúdo e nos conta através de um véu a dimensão de acontecimentos tão preciosos que contribuíram para o desencadeamento de outros enredos significativos que escreveram a vida de milhões de pessoas.
Todos os sentimentalismos retratados em romances históricos caem por terra ao nos darmos conta das barbaridades e injurias cometidos contra o povo, com o objetivo de alimentar um ego de interesses de uma classe privilegiada, o que se compararmos não é muito diferente da realidade vivida atualmente por tantos outros povos nos mais diferentes tipos de governos. Somos suplantados a um estado de calamidade que só se diferencia por alguns centenários retratados por costumes, cultura e tecnologia. Esses são os motivos pelos quais devorei a série, ela mostra a realidade de um povo, sem a utopia de esconder o real em uma teia de mentiras e sentimentalismo, embora esse último tenha em demasia no relacionamento de Claire e Jaime.




Comente com o Facebook:

10 comentários:

  1. Eu adoro séries, mas ainda não me aventurei por essa. Parece que une vários temas do meu interesse, como viagem no tempo e fatos históricos, além de um ótimo enredo. Meu único medo são os abruptos cancelamentos que me levam a loucura. Já fiquei curioso pelo capitão Jonathan Randall, vilões geralmente são meus preferidos kkkk Adorei a dica.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  2. estou assistindo e estou gostando muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!!

      Que bom, vai amar ainda mais. Quando começar a segunda temporada então...

      Excluir
  3. Olá,
    Não tenho o costume de acompanhar séries. Só assisto de vez em quando e sempre aquelas que já tiveram a última temporada lançadas porque odeio ficar esperando os lançamentos.
    Confesso que desde que vi que a série estava no ar, fiquei bem curiosa por causa da premissa e da viagem no tempo. Porém como ela não se enquadra nas condições acima, acabei deixando de lado. Mas vejo muitos elogios e com certeza é uma série que pretendo assistir no futuro.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oiee ^^
    Ainda me lembro do que pensei quando assisti o primeiro episódio, e a Claire foi para o passado: O QUE TÁ ACONTECENDO MEU DEUS? kkkk' é bem o pensamento durante a série toda, principalmente na segunda temporada (me conte se gritar isso quando finalizá-la...hehe' *-*). Eu AMO essa série, e estou doida para ler os livros e ver se são tão bons ou ainda melhores.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  5. Olá. Essa é uma série que eu tenho vontade de ler, mas o tamanho dos livros me assustam e acho que talvez eu opte pele série na telinha mesmo, a premissa é realmente muito boa e cativante, me deixou muito curiosa por falar de vários assuntos da época que trazem certa curiosidade.
    Acho que mês que vem vou começar a assistir, já que estou animada em conhecer séries novas
    Amei sua resenha, simplesmente bem estruturada e completa.

    ResponderExcluir
  6. Olha eu comecei a saber de Outlander através dos livros... Achei as capas lindas e tudo mais, mas eles são ENORMES!!! hahahua
    Aí depois fiquei sabendo da série e coo eu já tenho 1K de series pra ver, acabei desistindo....
    Mas foi bom saber do que se trata através de sua resenha!!

    #Ana

    LiteraKaos!

    ResponderExcluir
  7. OOi!
    Bom, eu não acompanho nenhuma série! Da para acreditar? KKKK na verdade, a única que assisto é GOT, e estou aguardando a próxima temporada.
    Sempre deixo para assistir algum nas férias, que tenho tempo de sobra.
    Essa parece ser ótima, acho essa "coisa" de viagem no tempo muito legal. Dica anotadíssima!

    ResponderExcluir
  8. OOi!
    Bom, eu não acompanho nenhuma série! Da para acreditar? KKKK na verdade, a única que assisto é GOT, e estou aguardando a próxima temporada.
    Sempre deixo para assistir algum nas férias, que tenho tempo de sobra.
    Essa parece ser ótima, acho essa "coisa" de viagem no tempo muito legal. Dica anotadíssima!

    ResponderExcluir
  9. Adoro, eu simplesmente ADORO Outlander. Desde que também conheci a série sou doida por ela. E quando conheci ainda não tinha lido o livro, e depois de ler ai que virei fã mesmo. Estou para assistir a 2° temporada mas quero ler o volume correspondente antes, porém como é um calhamaço de 900 folhas tá dando medo haha Ainda espero desenpacar, mas com certeza esse é uma série pra agradar todos os gostos <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Google+ Followers