Resenha: Dois mundos - Tesouros da tribo de Dana - Livro 1 - Simone O. Marques ( Sem spoiler)


Título: Dois Mundos - Tesouros da tribo de Dana - Livro 1
Autora: Simone O. Marques
Editora: Butterfly
Páginas: 253
Link para adquirir o livro 


Sinopse

Num futuro distópico, Marina é uma jovem brasileira que carrega a força e os poderes de três grandes deusas celtas. Ela é aquela que cria, acolhe e mata. Protegida por guerreiros, perseguida por mortais e desejada por deuses, precisa encontrar os míticos tesouros da Tribo de Dana se quiser salvar o que restou do mundo...Ano de 2021. A Terra está devastada e poucos são os sobreviventes. No Brasil, grupos se reúnem em pequenas vilas em torno da água potável. O oásis neste caos fica na Chapada dos Veadeiros, na Fazenda Tribo de Dana, onde vive um povo guerreiro que acredita tudo ser parte dos planos da Grande Mãe. Neste paraíso vive Marina. Considerada o avatar de três grandes deusas celtas, precisa lidar com poderes diversos de cura, vida e morte. Ao abrir o véu que separa o mundo de mortais e deuses, a jovem liberta antigas divindades. E dois domínios distintos estão prestes a colidir quando ela descobre que detém nas mãos o destino da humanidade.




        Após ler esse livro fiquei pensando nas diversas maneiras de iniciar essa resenha. Há inúmeras abordagens para a introdução de um texto, mas optei pelos detalhes da obra. Não vou dar spoiler, todavia acredito que um resumo da estória é necessário.
        A narrativa ocorre no século XXI, a tribo de Dana é uma fazenda localizada na Chapada dos Veadeiros em Goiás. Logo, há um mapa que contempla os cenários dos acontecimentos, por isso alguns locais realmente existem e os outros são fáceis de imaginar. Dessa forma perpassamos territórios como: Ribeirão Preto, Uberlândia, Brasília, Pantanal e a Ilha de Mar que fica em outra realidade.       
        Nesse mundo distópico conhecemos Marina que é um avatar, mas precisamente “a representação física de uma deusa celta chamada Dana” (p. 10). Toda ficção é em terceira pessoa, o que nos permite um olhar mais abrangente sobre os acontecimentos da obra. No primeiro capítulo temos uma visão bem pessoal do avatar da deusa por intermédio do relato de Felipe, um ex-padre que acompanhou a descoberta dos poderes de uma menina que acabava de completar treze anos. Por essa descrição entende-se que tudo aconteceu em ondas; exatamente três. A primeira foi o desejo da protagonista em destruir as armas de fogo, deixando apenas as consideradas armas brancas. A segunda foi movida pelo desejo de justiça e como tal destruiu todo e qualquer templo religioso. Já na terceira, surgiu através da devastação da terra. Em seguida ouve uma divisão temporal, mudando o calendário para d. A (depois da Aurora), pois esse fato aproximou dois mundos, surgindo: oráculo, sacerdotes, guerreiros, druidas, fadas, deuses, duendes e outros elementos sobrenaturais. Fábulas se tornaram reais e interligou-se com o ambiente dos humanos.
        Passam-se cinco anos, Marina se desenvolveu e agora com 18 anos está apta a começar sua aventura. Essa não sabe muito sobre a deusa, apenas que é um casulo e que seu futuro é incerto. Ela representa as três faces da deusa: a donzela, a mãe e anciã e por mais confuso que possa parece em minhas palavras isso não ocorre com a escrita da autora. Conforme as informações vão sendo decodificadas somos surpreendidos por um universo único, com ingredientes essenciais para ser cativado. Somos sugados junto com a heroína para outro mundo, e isso inclui seus “sombras”, os cavaleiros que são responsáveis pela sua segurança, ou como nomeados: os guerreiro de Dana.
        É no Sídhe, o local de descanso dos mortos, o ponto de partida para o destino que os aguardam. Ao ser transportado para um mundo paralelo somos envolvidos pelas teias de romance, perigos, coragem, acasos, divino e celestial. Além disso, a autora mistura a mitologia grega com pitadas da celta, irlandesa e da escandinava (as que conheço).  Somos permeados por lendas, fábulas, folclore e seres mitológicos. Toda essa gama de figuras permite uma significância primordial para trama, promovendo dessa forma ação do começo ao fim. É perceptível o talento de Simone e o quanto a mesma estudou sobre sua criação, a curiosidade é um ingrediente que aguça a leitura, deixando o ledor eufórico, devorando cada página. Sou suspeita para falar, dado que amo esse gênero literário, mas com toda a certeza a literata nasceu para transformar a magia em escrita e consequentemente na efetividade real de como a fantasia pode assumir ideias fascinantes e arrebatadoras.
Ganhei esse livro de presente pela renovação da parceria entre as editoras Butterfly e Petit e confesso que fiquei extremamente feliz, pois esse volume já estava na minha lista. Como de práxis a equipe gráfica está de parabéns, já que a capa e a diagramação estão lindas, os detalhes são minuciosos e perfeccionistas. Por fim, fui sucumbida por esse exemplar e indico a todos. Estou ansiosa aguardando a continuação e espero ser tão maravilhoso quanto esse.  

Então, você já leu? Quer ler? O que achou? Aguardo sua opinião nos comentários.   









Comente com o Facebook:

14 comentários:

  1. Já tinha lido uma resenha desse livro certa vez e aparentemente, assim como você, a outra pessoa também adorou.
    Eu gosto bastante de distopias, mas por algum motivo, esse enredo em especifico não me chamou a atenção.
    Mas como sou curiosa e já é a segunda resenha positiva que leio, acho que vou arriscar a leitura mesmo assim! :D
    beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Verônica
    Fico contente que tenha apreciado a leitura. Tenho visto outras pessoas elogiando também.
    Confesso que não sei se a premissa me atraí muito, mas não descarto dar uma chance futuramente. Bela resenha.

    Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Só vejo elogios sobre este livro e acredito que eu iria gostar também, essa mistura de mitologias é bem interessante, sem contar que acho a capa dele maravilhosa!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Nossa que capa mais linda!! Nossa já fiquei extremamente curiosa logo no começo da resenha afinal uma distopia que se passa em Goiás é algo completamente diferente do comum. Vou add esse livro na minha lista infinita de desejado pq quero saber o que vai acontecer com Marina.
    Bjs!
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  5. Olá! Eu amei esse livro! O trabalho gráfico da Butterfly é de cair o queixo! Amei ela ter misturado a cultura celta em um Brasil Distópico, fiquei apaixonada pela história! Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá, eu também recebi esse livro da parceria e será uma das minhas próximas leituras. As partes visuais dele estão muito bonitas, a capa, os detalhes da diagramação, agora é ver se eu vou curtir também a história. Sendo fã de fantasia, acho que é bem provável que eu também vá gostar.

    ResponderExcluir
  7. Que demais! Amei a sua resenha, fiquei bastante curiosa para conferir essa história. Também amo o gênero fantasia, pois abordam também ação, romance e aventura, deixando a trama mais viciante ainda. Fiquei intrigada com os poderes da Marina e estou ansiosa para saber como será o desenrolar dessa história. Obrigada pela dica, Bjss!

    ResponderExcluir
  8. Distopia não é muito a minha praia. Adorei a forma que você abordou a resenha, sem dar spoilers! Vou indicar o livro para as amigas que curtem. Beijos :*

    ResponderExcluir
  9. Heiii, tudo bem?
    Estou bem curiosa pra ler o livro nacional de Simone O. Marques, achei muito interessante a mistura de elementos e deixou a história mais rica.
    A capa tb foi um arraso e pretendo ler o quanto antes, espero gostar com vc.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  10. Olá! Não tenho costume com distopias, portanto costuma ser um estilo de leitura que guardo as dicas para passar para algumas amigas. Já vi outra resenha com elogios à construção da trama e dos personagens. Que bom que você teve uma experiência positiva. Espero que a série siga desta forma! Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Somar distopia + fantasia + passando em território nacional, com certeza é um prato cheio para mim. Adorei e já quero ler para ontem. A capa é bem bonita e instigante. Aliás não conhecia a autora!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Sempre babo nas capas dessa série. Amo distopias e fantasia, mas confesso que o fato da protagonista ser mt jovem me afasta um pouco da leitura. Eu meio que estou dando um tempo quando aparecem protagonistas assim, mas fico feliz que vc tenha gostado... espero que a continuação te agrade ainda mais.

    PS: Me estranho tbm com essa coisa de cultura celta aqui no Brasil... rs... mais um receio para a lista.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  13. Oi!!
    A capa desse livro é apaixonante.
    Eu gosto de distopias e fiquei bem interessada em conhecer melhor a história. Parece ser uma leitura prazerosa.
    Vou colocar ele na minha lista de desejados.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  14. Olá! A capa do livro é linda, percebi o capricho da editora com ela! Que bacana o cenário contemplar locais do Brasil, mas realmente distopia não é minha praia. Também não curto histórias extremamente fantasiosas, como com oráculo, deuses, fadas, mitologia, então não o tipo de leitura que eu leria, mas gostei de saber que você adorou o livro.
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Google+ Followers