#6 - Coluna de Ideias: Empatia


             
Imagem retirada da internet

           Há tempos estou querendo escrever sobre esse assunto. Empatia, uma palavra tão pequena, entretanto tão significativa.
        Quem sou eu para dar lição de moral, e embora quisesse “rabiscar” essa coluna no sentido formal é impossível não me envolver e deixar de narrar na primeira pessoa.
        Podemos citar academicamente diversos conceitos para a palavra – empatia –, todavia por mais belas e rebuscadas que essas sejam não conseguiriam descrever a essência que representa. Toda a poesia que permeia esse sentido não é válida na prática, pois é nesse aspecto que percebemos uma lacuna enorme entre teoria e realização, afinal, falar é muito mais protuberante do que agir.
        Sempre ouço a seguinte frase: “falta amor no mundo”, mas já analisou que não tem como sentir amor se não se colocar no lugar do próximo. Não acho que falte amor, afirmo que existe uma ausência de empatia em um mundo onde a vaidade é elevada em cima de qualquer status, sem considerar os sentimentos de ninguém.
        Talvez, só talvez, o diálogo não seja mais uma opção. A oração tornou-se um hábito, nada mais. Sendo assim, tudo tem solução. Todos os problemas são cabíveis de uma atitude rápida e pragmática, as redundâncias da vida não precisam ser levadas em consideração e os sentimentos são fugazes. Qual a razão de considerar os sentimentos alheios ou qual o motivo para respeitar o sujeito, já que todos os contextos são passíveis de solução e apenas um lunático se apegar a questões objetivas!
        A frieza tomou forma e saiu da sua lápide, essa habita entre nós e cada dia mais ganha adeptos. O engano não é culpado, é a confiança que não é retribuída. O julgar é fácil, não estudar as mais diferentes dependências é considerado normal e o amor é apenas um encontro de consoantes e vogais que formam um vocábulo sem sentido algum.
        Sei que escrevi apenas termos superficiais e não aprofundei no assunto em questão, no entanto corações quando choram deixam cicatrizes e essas influenciam na concepção de mundo e consequentemente interferem nas palavras. Então, a mensagem é clara: mais empatia, por favor!


Imagem retirada da rede social


Comente com o Facebook:

7 comentários:

  1. Oie

    Eu não conhecia essa coluna e fiquei apaixonada!!
    Gostei muito do seu texto, era exatamente o que eu estava pensando essa semana que passou no auge da minha decepção.
    "A frieza tomou forma e saiu da sua lápide, essa habita entre nós e cada dia mais ganha adeptos." - Exatamente isso.
    Amei seu texto, muito verdadeiro e parabéns pelo post.

    bjs
    Fernanda Y,

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Adorei o seu post, gostei muito da forma como você descreveu a empatia de forma simples, porém altamente explicativa. Acho que antes de tomarmos alguma posição é de fato necessário se colocar no lugar de outras pessoas, afinal só elas sabem o que estão passando e suas motivações. Vamos julgar menos e entender mais.
    Seu texto ficou lindo, parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. NOSSA PODE TATUAR ESSE POST? hahaha
    Amei amei amei! É isso que o mundo precisa hoje, mudar a visão egoísta e pensar um pouco mais como conjunto. É isso!
    Obrigada <3

    ResponderExcluir
  4. É Mariana, precisamos de mais heroínas como você! As pessoas estão muito individuais e só olham para seu umbigo, esquecendo das pessoas que estão em volta. Esta é nossa triste realidade.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Falar sobre empatia é muito importante mesmo. Infelizmente é uma coisa que falta no nosso mundo. E é uma coisa tão importante, não é mesmo?
    Eu já fui uma pessoa que julgava muito. Mas desde que comecei a me colocar no lugar dos outros, não faço mais isso. Nem sempre eu consigo entender a pessoa, suas atitudes, suas decisões. Mas pelo menos eu aceito que ela tem motivos que eu desconheço. Ela tem uma história que eu desconheço.
    Esse exercício pode até ser difícil no começo, mas com o passar do tempo é libertador.
    Beijooos
    https://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Que texto incrível, uma assunto que quase ninguém fala, mas que sempre precisa ser dito sabe?
    As pessoas hoje em dia são um tanto egoísta, e muitos acabam não percebendo que são. A falta de amor vem de mim, de você, de todos, que apenas falam e não atua com o próximo. Desde que comecei um trabalho voluntário, a um ano atrás, toda minha perspectiva mudou e percebi que sou muito mais feliz entendendo o próximo do que a mim mesma as vezes.
    Grande abraço,
    Lua.
    http://tudoculpadalua.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi!!
    Nossa você colocou exatamente o que muitas pessoas pensam, estamos sempre preocupados com o EU que esquecemos de olhar para o lado e tentar sentir o que o outro sente.
    A realidade em que vivemos é triste e um dia vamos pagar por isso, pensamos somente em nós, muitas pessoas se preocupam mais em fazer algo para agradar os outros e não a si mesma, pensando em como aquilo irá repercutir, um ato de solidariedade espontânea as vezes é difícil de se conseguir, as pessoas não sabem como é bom ajudar alguém a atravessar uma rua por exemplo, nossa isso faz tão bem.
    Realmente precisamos cada vez mais de heroínas como a Mariana.
    Beijão!

    ResponderExcluir

Google+ Followers