Resenha: Cara de um, focinho de outro


Título: Cara de um, focinho de outro
Autor: Marcos Fernandes
Editora: Butterfly Editora
Adquiria AQUI
Sinopse
Quem nunca teve um animal de estimação e compartilhou com ele os momentos mais incríveis de sua vida? Um segredo, uma alegria, uma dor...Pois é sobre essa relação amorosa entre os tutores e seus animais de estimação que trata este livro. Uma relação antiga, mas que em momento algum da história da humanidade foi tão intensa. Muitos dizem que o animal é o espelho de seu tutor. Mas o que faz com que essa relação seja tão forte? Existe alguma energia que os une? O que a ciência fala sobre essa união?“A fidelidade que os animais dispensam a seus tutores humanos é indescritível, pois resgatam a pessoa das regiões mais sombrias de seus problemas e angústias, motivando a vida a seguir seu curso novamente”, explica o autor, que também é veterinário e psicanalista.Descubra mais sobre essa relação de amor e fidelidade que ultrapassa o tempo e a razão. Você vai se surpreender.


Minha Opinião

            Vivemos em um momento que ocorre quase uma sacralização do animal, uma mistificação de seus sentimentos. Não que ele não tenha seu valor ou sua sabedoria, mas saímos de uma visão antropocêntrica e fomos para uma completamente oposta – necessária, creio eu, em um primeiro momento, e que tenderá a um equilíbrio futuro.

            A frase em destaque descreve o conceito que o livro traz, tal obra tem uma linguagem sucinta embora com uma abordagem mais acadêmica e retrata as variantes dos animas e de seus tutores.
            O autor explica como o animal faz parte do convívio social do homem e como esse papel pode ocasionar diversas trocas, positivas ou negativas, fruto desse relacionamento. O mesmo aborda que morfologicamente (inconscientemente) esse animal esta interligado com seu tutor mesmo quando não estão no mesmo ambiente, além desse elo se estender a outras áreas, como por exemplo, as emocionais.
            Durante toda a narrativa o autor evidencia os campos de estudo e utiliza de autores conceituados para exemplificar e confirmar suas teorias, o mesmo não diz nada absurdo, ao contrário, retrata como o homem transformou a paisagem com o passar dos anos e isso também se evidência na domesticação dos animais. Tudo que vivenciamos é desencadeado, geralmente, por alguns sentimentos, situações ou ação, e os animais, principalmente gatos e cachorros, captam essas emoções e as refletem de alguma forma. A partir desse momento entendemos a importância do veterinário evoluir e buscar respostas para algumas dessas situações, pois a homeopatia em alguns casos ajuda os tutores, veterinários e os animais identificarem o que desencadeou determinada doença, além de facilitar a busca pela cura.
            Por isso o mesmo ressalta o perigo de se exigir desses bichinhos que assuma “personagens”* dentro dos núcleos familiares, essa responsabilidade de humanização acaba sobrecarregando esses animais, fazendo com que os mesmos percam os instintos característicos da sua espécie e os prejudicando em alguns aspectos.
            Enfim, de forma simples e fácil o autor evidencia o que capitalismo e a globalização (mercados interessados nesse assunto) demandam, ou seja, que os tutores acabam entrando nesse “estilo” de vida, comprando para esses animais artigos que não fazem parte da sua natureza e os submetendo a se adequar aos seus “donos”; cada vez mais tendo suas personalidades moldadas para se parecerem com o homem.
De fato, os animais são como mata-borrão ou uma esponja que absorve as energias do ambiente ou dos seus tutores e somatizam em seu corpo toda a sorte de influências “negativas”.

*Personagem = Quando os donos o substituem e/ou tratam os animais como filhos.

Livro cedido em parceria com a editora.

Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Olá! Eu não costumo me interessar pelos livros da editora, mas alguns vem me chamando atenção, esse por exemplo. Acho a história boa e acredito, de verdade, que possa ser uma boa leitura. Gostei de ver a sua opinião sobre a obra.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Já li esse livro e acho que a obra não poderia ser mais pertinente do que foi pra mim. Eu tenho quatro animais e eles foram, infelizmente, humanizados. Eles são tratados como pessoas e entendo que isso é em parte por culpa e toda a minha família e em parte por conta do capitalismo e globalização.
    Gostaria de ter tido acesso a esse livro antes.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!! :)

    Eu nunca li o livro e quero conhece-lo... Entretanto, daqui a dias, vou começar a ler um outro titulo do genero... :) ahah

    Bem, eu adoro a premissa e essa humanização dos animais!! ahah :) Vou procurar mais sobre ele! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Sempre que vejo uma capa como essa tendo a achar que será mais um livro no estilo Marley e Eu, por isso fiquei surpresa ao saber o real conteúdo do livro. Mesmo eu tendo lido somente a sinopse e a sua resenha, comecei a refletir sobre a maneira como trato meus animais de estimação e, creio que infelizmente, visualizei facilmente tudo o que você relatou que o autor disse. Fiquei bem intrigada sobre as afirmações do autor sobre a questão de humanizarmos os animais, pois é algo que eu não tinha parado para pensar até então.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Adoro animais e sempre procurei ter algum e estimação, na maioria foram cachorros. Sempre evitei esse lance da humanização dos animais, tratar eles como filhos não me parece saudável (para o cachorro e o humano) colocar roupas, perfume, fazer festa de aniversário, etc, acaba estressando incomodando o animal.
    Vejo que esse livro se mostra bem atual e até necessário, parabéns por dar espaço a ele no seu blog

    ResponderExcluir
  6. Não sabia que esse livro aborda pontos tão interessantes, e fiquei mesmo curiosa para lê-lo, apesar de não ter nenhum animal de estimação no momento. Parece uma obra bem completa, de fato. Já anotei a dica! Sua resenha ficou ótima! Adorei saber mais sobre o livro.
    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bom? Eu amo animais (principalmente cachorros) mas nunca li nenhum livro sobre eles (a não ser que marley e eu conte kkk). Tenho uma cachorrinha linda, meu amorzinho, apesar de ser muito agitada. Sua resenha ficou muito boa e com certeza gostei muito da premissa. beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Já li sobre esse livro em alguns lugares e fiquei bastante interessada.
    Gostaria de saber mais sobre a idéia do autor de que muitas vezes as pessoas acabam sobrecarregando os animais quando os transformam em alguém da família.

    Beijos, Lara.
    Psiu, vem ler!

    ResponderExcluir

Google+ Followers