Resenha: O morro dos ventos uivantes


Título: O morro dos ventos uivantes
Autora: Emily Brontë
Editora: Lua de Papel (Leya)
Sinopse
Na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes nasce uma paixão devastadora entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância e cruelmente separados pelo destino. Mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta: um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança. "Meu amor por Heathcliff é como uma rocha eterna. Eu sou Heathcliff", diz a apaixonada Cathy.
O único romance escrito por Emily Brontë e uma das histórias de amor mais surpreendentes de todos os tempos, O Morro dos Ventos Uivantes é um clássico da literatura inglesa e tornou-se o livro favorito de milhares de pessoas, incluindo os belos personagens de Stephenie Meyer.



Minha impressão



            Ao iniciar essa resenha resolvi pesquisar algumas questões que me afligiam por falta de respostas mais precisas. Minha busca foi em vão já que encontrei somente um único artigo baseado nos contextos sociais que envolveram o livro*.
No século XIX os romances não eram conceituados e ainda eram vistos com uma obra de cunho masculino, para termos uma afirmação válida usarei as palavras de Showalter (1977) que descreve que na contemporaneidade que se tornou corriqueira a visão de gêneros literários escritos por mulheres. Por isso Emily chocou a sociedade de sua época ao caracterizar sua obra com personagens onde as loucuras os perseguiam, tendo a descrição física dos mesmos étnicas, e uma visão contrária as tradições literárias de seu tempo, podemos concluir que a mesma foi díspar e nunca objetivou agradar ninguém, daí sua escrita incomum. Seu romance não foi aceito por críticos, pois a mesma também retratou as desigualdades sociais, tal exemplo é que apenas duas mulheres não morrem, as demais tem suas vida esvaídas no parto. Toda essa explicação é necessária para compreender a escrita dessa autora.
A estória tem inicio quando o patriarca da família Earnshaw encontra um “cigano” nas ruas de Liverpool, e por ser um bom cristão leva o menino para o seio de sua família, não há maiores informações sobre esse menino batizado de Heatcliff, entretanto não concordo com o mesmo ser cigano, talvez até tivesse descendência, todavia pela narrativa me fez acreditar que sua linhagem é negra. Através de vários relatos marquei algumas descrições sobre a origem de Heatcliff na perspectiva dos personagens. Para Isabella e para o Sr. Lockwood o mesmo era cigano, para Nelly poderia ser da aristocracia chinesa ou indiana e para o Sr. Linton ele era um nativo que veio da América, independente de sua origem todos os descrevem como um estrangeiro e o tem como inimigo antes mesmo de saber sobre sua personalidade.
Toda atenção do senhorio da casa para esse menino o leva a gerar diversos conflitos, talvez por uma discriminação latente ou mesmo por ele ser um demônio como nossa narradora nos leva a crer. A Inglaterra nesse período ficou marcada por imigrantes que desembarcavam vindos de diversos locais, mas o maior contingente vinha da Irlanda, pois a comida era escassa derivando a fome. A autora apenas colocou em seu romance todos os medos dos ingleses ao ver sua terra ser povoada por outros povos, percebe-se esse conceito ao ver o estrangeiro ser descrito como uma criatura maligna, pagão, de outra raça, de idioma diferente e de cultura inferior.
Tal romance baseia-se nos contextos sociais, econômicos e políticos de sua época, daí o empecilho da Catherine Earnshaw se casar com um homem de pele escura, sem propriedade, não pertencente à elite, sendo esses motivos mais que plausíveis para seu tempo. Por essa razão ao descobrir tal façanha o protagonista foge e volta alguns anos depois com sede de vingança. Não sei bem se tal palavra consegue descrever toda a narrativa ou se era apenas uma forma do mesmo se impor e ser aceito na sociedade. O que posso afirma é que ele é um anti-herói, tendo como engrenagem principal seu amor por uma mulher branca, e que usa todos os mecanismos ao seu favor para se tornar um senhor de terras**, com posses e fazer com que todos aqueles que o humilharam pagassem pela ofensa de forma ultrajante e acabarem na sarjeta. Contudo, são nesses momentos que a dúvida me assola, será que ele era realmente esse homem mal ou nossa narradora por preconceitos estereotipados o conceitua com um ser das profundezas do inferno, e por um amor maternal não lista os defeitos de seus protegidos? Afinal, em vários momentos percebem-se como alguns desses são mimados ao extremo.
São nos pontos acima que a escritora mostra o quão peculiar sua obra é, resultando nessas interrogações a perspectiva única e significativa do seu livro, onde os personagens são tão complexos e problemáticos não sendo possível se aprofundar em suas personalidades evasivas e nas incógnitas sem respostas plausíveis. Emily dá um show de cultura, história e conhecimento. Para quem for ler e não tenha consciência dos marcos e acontecimentos do momento em que era escrito não compreenderá um por menor que seja, mas ao ver gamas de cores tendenciosas que compõe toda a trama, onde intrigas são justificadas por argumentos memoráveis e ações em contextos históricos, perceberá com valioso esse livro é.  
* Sei que não é a melhor ocasião, mas cuidado com fontes que pesquisam informações (principalmente se for acadêmica), além de tudo google e Wikipédia não podem ser usados para tal função, pois suas fontes não são confiáveis.
**Senhor feudal não seria uma palavra apropriada para o contexto da estória.


Comente com o Facebook:

21 comentários:

  1. Eu sempre tive curiosidade em ler esse livro, e acho que a sua resenha é a primeira que leio sobre ele. Deve ser uma trama bem intrincada, ainda mais por conta dos preconceitos da época e outras problemáticas. Fiquei bem curiosa acerca do desenvolvimento e imagino mesmo que a autora tenha sido bem ousada. Ainda espero fazer a leitura dessa obra!
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei as considerações técnicas que você fez do livro, isso é tão esclarecedor que me deu vontade de reler o livro com outros olhos, acho que um pouco mais certa da motivação de determinadas cenas. Adorei!!!
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ola lindona eu sempre quis ler esse livro, gostei muito dos pontos ressaltados em sua resenha, acredito que foi a primeira que destaca os contextos sócios econômicos e não só a visão de um romance, com esse fato será uma leitura obrigatória. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Ainda bem que gostaste... Eu nao conhecia e o genero nao me chama muito! :)

    Bem, eu nao leria, porque nao conseguiria acompanhar com esses conhecimentos e acontecimentos todos, nao explicados.. Iria sentir-me muito perdido!! :)

    Mas ainda bem que gostaste das persongens tao complexas que ate fico confuso novamente!! ahah Decididamente, nao e livro para mim! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Este clássico é maravilhoso!
    Gostei muito de sua resenha. E concordo quando diz que compreenderá e apreciará a leitura quem tiver conhecimentos sobre tais marcos históricos.

    Beijinhos...
    http://estantedalullys.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Sua resenha é a primeira que leio desse livro, mesmo depois de tantas citações em Crepúsculo, que eu amo. É um clássico então talvez por isso eu tenha uma certa preguicinha de ler. Mas vou tomar vergonha rsrs e procurar em alguma biblioteca por aí.
    Super completa sua resenha, acho que todo mundo deveria lê-la antes de começar o livro. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Essa obra é uma das minhas favoritas da Vida e não me canso de indicar o livro para todas as pessoas. Mas, com certeza, eu não tinha maturidade o suficiente para ter lido e não soube absorver todas as informações desses livros e isso foi ruim.
    Ao ler sua resenha percebi isso. Então, digo: preciso reler essa obra magnifica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oii Verônica, tudo bom? Adorei sua resenha! Eu já tentei ler esse livro algum tempo atrás, porém não consegui finalizá-lo! Mas pretendo fazer isso, pois acho que, agora mais madura, a leitura irá fluir. E ainda mais depois dessa resenha linda e bem completa.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Verônica! Já li O Morro dos Ventos Uivantes uma vez, concordo muito com o que você colocou na resenha, principalmente as considerações sobre os personagens, eles são algumas vezes difíceis de compreender. Mas o contexto histórico, é no entanto, evidente e claro. Adorei a resenha.
    Beijos,
    dontmesswithmycoffeeblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  10. Ainda não li a obra, ouvia muitos comentários ruins sobre sua narrativa, mas a resenha me conquistou e tomei coragem, gosto de livros em que os personagens se adaptam as características da época, os personagens parecem ser bem confusos e a obra em si muito complexa e rica, mas sem o devido aprofundamento

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Sempre vejo muitas indicações desse livro, e confesso que até então não sabia do que ele falava, e ao ver sua resenha fiquei bem surpresa.
    Adorei o fato de ele tratar de um romance visto impossível naquela época, uma moça de classe com um homem de pele negra, e ainda por cima pela história ter muito contexto social e político daquele período.
    Com certeza é uma obra incrível

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    O Morro dos Ventos Uivantes com certeza é uma de minhas obras preferidas. Adoro o jeito em que a história foi construída e como o romance principal foi desenvolvido. É uma obra prima que todos deveriam ler!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Nossa, que resenha mais rica. Adorei. Tenho vontade de ler este livro desde que comecei minha vida como leitora, mas confesso que minha vontade nunca foi tão grande assim, ainda mais por um livro tão evasivo e complexo. Morro dos Ventos Uivantes, não é uma leitura do momento, acredito que para poder ler esta obra, ainda terei que amadurecer muito como leitora.

    ResponderExcluir
  14. Nossa, que resenha maravilhosa <3
    Eu já li esse livro e gostei bastante, mas não entendi todos os pormenores que você disse, o contexto da situação política, social e econômica, eu apreciei o romance entre Cath e Heathcliff, acho que terei que reler pra entender melhor essa outra gama de situações que o livro se encontra.
    Quando li da primeira vez, não tinha noção de muitas coisas, tinha apenas 11 anos, HAHA, e da segunda eu amadureci, mas acho que não foi suficiente.
    Pretendo reler uma terceira vez, mais pra frente, pra apreciar a obra como um todo.

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Sua resenha ficou muito boa! O gostoso de ler clássicos é exatamente essa pesquisa que podemos fazer, descobrindo coisas muito além do que somente ler um romance. Eu já li ele, mas faz muito tempo, mais de 10 anos, então não consigo me lembrar de tudo, mas me lembro da atmosfera sombria que ela aplicou em cima todo esse contexto. É um livro pesado, um romance gótico, cheio de criticas a sociedade. Eu amo!

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    COnfesso que estou bem atrasada para a leitura desse livro, pois ainda nem me interessei para ler. Eu cheguei a comprar, mas sempre deixei para depois. Sei que existem algumas adaptações para a história, mas nem isso cheguei a assistir. Vou voltar ele na pilha para iniciar a leitura.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  17. Oie, flor!!!
    Tenho muita vontade de ler esse livro.
    Gostei de ler suas impressões sobre ele, foi mais um atrativo pra eu não enrolar muito pra conhecer essa história.
    Parabéns pela resenha...

    Bjos

    ResponderExcluir
  18. Olá!

    Eu já li este livro a alguns anos e confesso que não gostei muito. Odiei Heathcliff, achei ele um ser detestável. Não só ele como outros personagens, mas ele foi pior. Gostei de você ter analisado profundamente a obra e de ter trazido aspectos culturais e históricos da época. Entretanto eu não ache que a visão má de Heathcliff seja influenciada por essas coisas, afinal o narrador deve ser fiel ao que o personagem é, e se não é a descrição que enuncia a personalidade creio que as falas denunciam. Da para saber se um personagem tem uma personalidade boa ou má pelas suas falas, mesmo que o narrador diga outra coisa.
    Sua resenha está ótima e está de parabéns por suas pesquisas realizadas.

    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    ResponderExcluir
  19. Oi *--*

    Definitivamente esse é um livro que divide muitas opiniões. Ainda não o li e tenho vontade por ser um clássico. Gosto do fato dele ter um romance improvável e ainda mais por que amo amo romances de época e nunca li nenhum escrito na época. Pela sua resenha percebi que ele é bem peculiar, espero poder gostar quando ler.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Olá, tudo bem?
    Para ser sincera eu nunca me interessei de fato por esse livro, talvez pelo gênero que não estou muito acostumada, mas acredito que não leria ele, pelo menos não no momento. Mas fico feliz em ver que você gostou e que recomenda, talvez um dia dou uma chance e mudo de ideia né?

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Adoro essa história! Acredito que de todas as irmãs Bronte, Emily foi a que mais inovou em termos de construção de personagens e de temática narrativa, mas indico que você leia os livros de Charlotte Bronte que também são muito bons! ^^

    ResponderExcluir

Google+ Followers