Resenha: Coleção Sevenwaters - Livro 1 - Filha da Floresta

Título: Filha da Floresta
Autora: Juliet Marillier
Editora Butterfly
Onde Comprar

Sinopse

O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos... No crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.

                Existem vários tipos de histórias. Em umas as regras gramaticais usam a grafia para lhe atribuir significados diferentes, em outras a narrativa o faz um desbravador de mundos, alguns lhe encantam pela sutileza e simplicidade e nas mais impactantes as palavras se escondem, pois nenhuma tem significância ou valor para descrever o mundo para o qual foi transportado.
            Sorcha é a sétima filha do sétimo filho e assim como o misticismo de sua terra a mesma também possui um pouco dos dons sobrenaturais, o que não é diferente dos seus irmãos que foram contemplados com esses “presentes”. Toda essa estória mágica ocorre nas terras da Irlanda, onde o fascínio e a sedução são companheiras inseparáveis de criaturas místicas e do encantamento.
            Sou uma leitora assídua e crítica desde 10 anos, tal magia foi arraigada em minhas veias, carregado para meu sangue e transportado por cada parte do meu corpo. Respiro literatura e dentre todos os encantamentos, experiência, vida e mundos vivenciados nenhum me levou ao êxtase como essa obra. Talvez aja um “Q” de exagero, afinal somos como uma roca de fiar e conforme produzimos a lã e damos o tratamento adequado o material vai sendo aperfeiçoado e consequentemente melhora-se a qualidade. Então, quanto mais à leitura for explorada melhor será seu paladar e em consequência virá à exigência.
            Existem elementos importantes presentes na trama, tais como o enredo, o mistério de seres desconhecidos e medievais, a cultura celta, o paganismo, as diferenças religiosas e a rivalidade entre povos por busca de poder, conhecimento e a recompensa do reconhecimento. Dentre todos os heróis Juliet (dada a intimidade com sua obra creio que me permita chama-la dessa forma) nos presenteia com uma heroína, que tem arraigada em si dois sentimentos sublimes: coragem e amor. Coragem para vencer todas as adversidades, e amor como a madeira que alimentar o fogo, nesse caso a esperança. Consegui viver toda a emoção da protagonista, e ao contrário do que possa vim imaginar a autora não “floreia” sua obra com enganos e fraldes, a mesma retrata todo o cenário e realidade da época, se detendo em detalhes preciosos, relatando alguns tratamentos desumanos direcionados a mulher e presentes até a hoje em tempos contemporâneos.
            A ânsia da busca por informações o consome do começo ao fim, levando qualquer leitor a devorar as páginas e ficar avido por minúcias presentes no texto. A autora trabalha com dilemas, gerando um quebra-cabeça e despertando a curiosidade daquele que lê. E em meio a tudo isso não posso deixar de falar do romance, que ocorre no tempo correto, mostrando que há momento para tudo e que a renúncia é sinônimo da ternura e afeição, sendo uma das maiores provas de amor.
            Os questionamentos também são retratados de forma singular, onde as dúvidas são marcas essenciais para entender o paganismo e/ou os deuses politeístas sendo a incerteza uma via dupla, pois não sabemos de qual lado o deuses estão, portanto algumas circunstâncias nos levam a crer que os humanos são apenas uma peça em seu tabuleiro de xadrez. Qualquer expressão que usar não conseguirá descrever toda a aventura, mas confesso que não gostei muito do final de um dos irmãos, Finbar, entretanto como mesmo ressaltei a escrita não é enrolada e a realidade é constante, mostrando que em nossa existência nada é perfeito e que alguns espinhos estão no trajeto para dificultar a caminhada.
            Se minhas simples palavras o convenceram eu o convido a ir em Sevenwaters, conhecer Sorcha, Liam, Diarmid, Patriac, Cormack, Conor e Finbar, tirar suas  próprias conclusões sobre seres tão sedutores e se aventurar depositando sua confiança na dama da floresta. Usando as palavras da própria autora:
 “Em minha história, abordo dilemas humanos dentro da fantasia, pois o objetivo dos contos é descrever experiências difíceis e mostrar o que há de melhor e de pior no ser humano. Honra, confiança, coragem, amor verdadeiro e também perversidade, falsidade, covardia e ódio. O que nos faz sentir bem e o que nos choca, o que nos faz rir e o que nos faz chorar.”

 Livro cedido em parceria com a editora.   

Comente com o Facebook:

14 comentários:

  1. Olha eu já li muito esse gênero, mas hoje em dia não me enche mais os olhos, porém a maioria tem capas lindas de tirar o folego, e sua resenha está fantástica, meus parabéns. Pena mesmo que não me atrai, mas tenho amigos que gostam irei indicar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Li meu primeiro livro da Petit a poucos dias e gostei muito.
    Tô com vontade de ler a Coleção Sevenwaters por causa do misticismo que consta na história, apesar de fantasia não ser meu genêro, quero ler por achar que o livro seja bom

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li nenhum livro dessa editora, mas tenho muitos títulos deles na minha lista de desejados e esse é um deles. A premissa parece ser bem interessante e é um gênero que eu curto bastante. E sim, suas palavras me convenceram a querer fazer essa leitura ainda mais.
    obrigada pela indicação!
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que belas palavras na introdução da sua resenha. Sinto-me assim como você e concordo que conforme o tempo passa, nós vamos aperfeiçoando o nosso paladar literário.

    Agora sobre o livro. Eu não costumo me interessar pelos livros dessa editora, mas essa série é uma das poucas que eu morro de vontade de ler. Acho esse universo criado totalmente instigante e tenho uma grande curiosidade para conhecer essa história. Gostei de ver a sua opinião sobre a obra e da maneira como você falou. Uma ótima resenha.

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?

    Acho as capas do livro dessa série muito bonitas. Tenho vontade de ler, pois a história chama minha atenção. Porém, como são livros bem grandes, lerei mais pro futuro, quando meu tempo para leitura não estiver tão escasso.
    Acredito que seja uma fantasia mais sombria e densa, o que é bem interessante. A autora ter retratado os dramas vividos pelas mulheres também é muito bacana. Parabéns pela resenha.

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo

    ResponderExcluir
  6. Primeiramente, amei a resenha, senti uma grande força em suas palavras, parabéns, fiquei bem comovida

    Sobre o livro, sempre tive curiosidade sobre a série mas nunca li nenhuma resenha rsrs,gosto de livros assim, com ambientes encantados e com cada detalhe sobrenatural, principalmente com personagens com dons, apresentam uma grande riqueza em seu enredo,é de se admirar um escritor conseguir nos transportar para um universo tão complexo com uma escrita leve e acolhedora, conseguiu me convencer a arriscar nesse universo, certeza que não me desapontarei

    ResponderExcluir
  7. Eu estava aqui pensando de dava ou não uma chance a esse livro, mas agora que eu li a sua resenha, eu realmente fiquei com vontade de dar uma chance pra esse livro.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Acredita que ainda não li nenhum livro dessa série? Eu estou com todos publicados no Brasil, mas ainda não consegui ler. Como minha pilha está enorme de atrasados, eu acabei deixando de lado, rs. Mas todos que já leram, estão me indicando esse livro, e tenho certeza que será um ótimo livro.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  9. Oiee ^^
    Aiii eu amo os livros da Juliet ♥ Lembro que quando li esse livro, o achei um pouquiiinho cansativo, mas a história é incrível! Estou doida para continuar lendo a série, mas parei antes de ler o terceiro, então vou acabar relendo os dois primeiros...haha'
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá....
    Não vou mentir... estou a tempos enamorada por esse livro e todas as resenhas que leio só me trazem uma curiosidade a mais kk a sua não foi diferente, quero muito conhecer esse mundo cheio de magia e sedução, e espero conhece-lo o mais rápido possível...
    Beijocas...
    https://westfalllivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oiii
    Pensa em uma pessoa que está completamente alucinada para ler essa série!
    Sim eu!!!!!
    Gente que resenha linda você nos apresentou e eu te garanto que se eu já estava desejando esse livro agora ele se transformou em uma questão de necessidade!

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  12. Que resenha linda, fiquei encantada <3
    Confesso que nunca tive muita vontade de ler essa série mesmo adorando o gênero, minha mãe é apaixonada por ela e vive distribuindo elogios.
    Recebi um exemplar para resenha e pretendo ler em breve, assim vou matar minha curiosidade e descobrir se o enredo é tão maravilhoso quanto vejo nas críticas.

    Abraços

    ResponderExcluir
  13. Olá!!!
    Apesar de eu gostar de livros que envolve a fantasia esse livro não é um dos que leria :(
    Desde de que vi ele não me chamou atenção, mas fico feliz que ele lhe deixou satisfeita demais. Acho que sua resenha diz como você se sentiu sobre o livro e por isso está belíssima =)

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Olá Verônica, tudo bem?

    Sou um amante do fascínio que os seres místicos da era medieval nos trás. Sempre gosto de fazer leituras sobre esse universo. Apesar de que na sinopse se vem falando que a Sétima Filha vive um amor proibido, que tornaria esse enredo romantizado (e que não me atrai), em sua resenha não consegui perceber que este é o foco do livro. Realmente fiquei na duvida, por isso irei pesquisar melhor sobre.

    Beijos,

    Gabriel Albuquerque

    ResponderExcluir

Google+ Followers