Resenha: Capitães da Areia - Releitura

Título: Capitães da Areia
Autor: Jorge Amado
Editora: Record
Sinopse
Publicado em 1937, pouco depois de implantado o Estado Novo, este livro teve a primeira edição apreendida e exemplares queimados em praça pública de Salvador por autoridades da ditadura. Em 1940, marcou época na vida literária brasileira, com nova edição, e a partir daí, sucederam-se as edições nacionais e em idiomas estrangeiros. A obra teve também adaptações para o rádio, teatro e cinema. Documento sobre a vida dos meninos abandonados nas ruas de Salvador, Jorge Amado a descreve em páginas carregadas de beleza, dramaticidade e lirismo.



Minha Opinião

          Já havia lido esse livro há muito tempo, em minha adolescência, e resolvi reler para poder resenhar. Confesso que não me recordava de muitas cenas e personagens, mas conforme a leitura fluía tudo se encaixava nos seus antigos lugares, assim como alguns locais que vistamos e os objetos ou cenários despertam saudosas recordações.
          Embora esse livro tenha sido escrito em 1937 muitas coisas nos chamam atenção. Jorge Amado realmente traduziu em palavras os problemas presentes até hoje na sociedade, a história descreve e mostra como a colonização deixou marcas nos cenários brasileiros, onde a desigualdade está presente sendo representada através da pirâmide social onde poucos possuem muito e muitos possuem pouco. Não é questão de filosofia, mas esse é um problema que passou por gerações e no presente é vivenciado por muitos em seus cotidianos, a exclusão existe e é uma lembrança constante para aqueles que realmente acreditam em um país igual.
       Desde Brasil colônia tais características marcam a contemporaneidade, passando pela herança das capitânias hereditárias, pela abolição dos escravos, a revolução de 1930, a ditadura militar e outros marcos históricos que assim como acrescentaram referências importantes suas ações também geraram um retrocesso, mas não quero demorar nisso. O que desejo apresentar mesmo é esse exemplar cheio de simbolismo, transcrevendo através das atitudes de seus personagens as falhas que estão arraigadas em nosso “corpo” social, gerando dificuldades e inconvenientes hodiernos que perpetuam há séculos.  
       O autor soube expressar por meio de suas narrativas que as crianças de rua são resultados de atitudes incompreensíveis e por medidas drásticas do Estado que não aprenderam como lidar com esse público em si. Os capitães da areia são um grupo de crianças que por diversos motivos acabaram indo morar nas ruas da Bahia, formando uma gangue com o instinto de sobrevivência, tendo sua subsistência através de roubos e furtos, envolvidos nos mais diversos tipos de crime. Ninguém tem a intenção de passar a mão na cabeça de pequenos infratores, pretende-se apenas apontar que tais problemas possuem culpados e na maioria das vezes não são esses meninos.
     Temos então através da narrativa as justificativas para pode compreender melhor todo esse contexto, onde pelo empoderamento jornais ao invés de serem imparciais remetem sua opinião, juízes se desviam e culpam outros órgãos, onde reformatórios esquecem os direitos humanos e onde no fundo ninguém se importa. É fácil culpar as vítimas, afinal isso é uma conduta normal do homem. Outro ponto que achei interessante é que sempre procuramos algum porto seguro, não importa onde seja, pode ser na religião, no amor, nos direitos, sempre acreditamos e construímos uma ancora que seja o nosso refúgio.
      Eu indico o “trapiche”, mesmo dormindo entre os areais, sujo e vestido com farrapos existem as aventuras incrustadas. O amor de Dora e Pedro bala, ser malandro que nem o gato, mal humorado que nem o sem perna, admirar “padim” lampião, ser bom que nem João Grande, pintar que nem o professor e se deitar nas areias atrás das neguinhas. Não importa o ângulo, não importa qual visão você possa vim a ter, o tempo é único e alegria está remetida nos pequenos momentos ofertados por essa leitura.


Comente com o Facebook:

22 comentários:

  1. Sei que é um clássico, mas ainda não li esse livro. Achei bem legal da sua parte fazer a releitura da obra para fazer a resenha. E depois de ler seus comentários fiquei bem curiosa para conferir o estilo do autor. O enredo deve conter vários simbolismos mesmo.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Olá

    Me sinto péssimo por nunca ter lido esse livro, nem mesmo na minha adolescência. Mas confesso que não me chama atenção esses escritores mais antigos, sou péssimo com colocações de linguagem e temo não conseguir entender algumas coisas visto que o livro foi escritor em 1937. A estória em si parece ser bem interessante até porque tem os traços do Brasil Colônia. Quem sabe um dia tiro essa ideia e leio o livro.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/2016/05/fale12-novo-cantinho-dessart.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI!!

      Não deixe de ler,foram feitas revisões na obra e a linguagem está bem atual. Você vai gostar. Bjs!

      Excluir
  3. Oi, li esse livro a mais de 20 anos e sua resenha me deixou bem animada para fazer a releitura porque me deu muita saudade dos personagens. Adorei as suas considerações sobre os motivos que fizeram os meninos irem para rua e a sua conclusão está incrível!!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Um dos clássicos mais importantes que li.
    Lembro de ter lido na escolha, há 10 anos e ler sua resenha foi uma ótima oportunidade de relembrar essa história. Gostei muito das suas impressões e é sempre bom ver resenha de clássicos.
    Adorei a dica. Me empolgou a reler e espero que anime outros.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  5. Oie
    Menina tentei ler esse livro na época de escola e não consegui. Mas lendo sua resenha até me empolguei em tentar ler de novo. Até porque agora tenho uma maturidade maior para ler esse livro. E è um clássico.
    Um que acho bacana também é o Guarani do José de Alencar. Você já leu?!
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila,ainda não li, mas pretendo. Beijos!!!

      Excluir
  6. Achei a sua resenha tão complexa no início que já desisti de conhecer essa história. Se tem tudo isso para perceber no livro não acho que eu seria capaz, além de não curtir esses enredos com algum fundo histórico - não sei se é algo que o autor colocou mesmo no livro ou que você interpretou. E o único livro que li do autor até hoje não curti. Apesar de ter achado interessante esse tema das crianças de rua, passo a dica.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  7. Olá, eu nunca li nada do autor mas isso é uma vergonha e pretendo mudar esse quadro ainda esse ano. Eu nunca tinha ouvido falar dessa obra e fiquei curiosa, não acredito que será um livro que vou ler rápido ou ficar pensando nele o dia todo, ou mesmo correr para terminar a leitura, mas acredito que será uma leitura que eu vá me agradar. Eu achei a história muito interessante e gostei da dica.

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Nunca li nada do Jorge Amado apesar de ele ter tantas obras conhecidas e muito apreciadas pelos leitores.
    Acho a premissa de Capitães de Areia muito interessante! O autor focou em um assunto que é problema até hoje que é o caso dos meninos de rua.
    Gosto sempre de ler clássicos e vou colocar esse entre minhas leituras futuras.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  9. Ouço muito falar desse livro, tenho muita vontade de lê-lo.
    Pelo que você disse, a trama traz muitas mensagens importantes, fazendo críticas que, apesar de ser um livro antigo, remete a realidade de nossa sociedade até hoje.
    Infelizmente, não evoluímos nem um pouco, isso é bem triste.
    Parece uma leitura obrigatória, então assim que possível, lerei!
    Ótima resenha!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  10. Amiga já vi muitas resenhas em alguns blogs sobre os livros de Jorge Amado, mas eu nunca li nada e nem tive interesse, pois o gênero é bem diferente do que estou acostumada a ler, mas mesmo assim me parece ser uma boa pedida para se dar uma variada do que estamos acostumados a ler. E o que eu achei bacana foi o assunto abordado, por conta de um problema sério que até hoje lutamos no Brasil para que crianças abandonadas não fiquem pelas ruas e que procurem estudar e se tornarem pessoas de bem, mas hoje as coisas estão perdidas sabe? Eu acho que o nosso governo tá péssimo nesse quesito. Por isso até que a maioria dessas crianças acabam caindo nas drogas e fazendo com que outros caiam também enfim...é triste, mas é uma realidade né? =/

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/05/resenha-orange-ichigo-takano.html

    ResponderExcluir
  11. Esse foi o único livro que gostei (e muito), na época das leituras obrigatórias da escola, o livro traz temas bem atuais e dá até vontade de mostrar pro povo que fica culpando o que não devia em relação à jovens que não tem oportunidade, um dia ainda lerei outras obras do Jorge Amado para ver se são tão boas quanto Capitães da Areia!

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Esse é um dos meus livros favoritos DA VIDA. Tenho ele aqui em casa e sempre que da releio ou leio passagens marcadas. Jorge Amado soube construir uma realidade que se aplica severamente hoje em dia, nesse sistema capitalista. Me apaixonei pelos personagens e nossa, como amo. Adoro quando vejo as pessoas lendo esse livro e amando. Capitães de Areia <3 <3 <3

    beijo!

    ResponderExcluir
  13. Oi oi, gostei da resenha. Que bom que você fez essa resenha para os leitores, pois eu sou dessas leitoras que só conhecem autores internacionais e livros conhecidos.
    Claro que já ouvi falar em Jorge Amado, mas nunca me interessei em ler uma de suas obras.
    Essa é uma leitura que vai me fazer fugir da rotina de sempre. E por isso eu daria uma chance para essa leitura.

    www.blogmixbooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Olá, eu já ouvi falar muito desse livro e para ser sincera eu nunca li nada do autor e no momento não tenho curiosidade, acredito que mais para frente eu darei uma chance ao livro, mas não no momento.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  15. Oiii!!!

    Eu acho que já falei aqui mas não li nada ainda de clássicos. Nas escolas passei mais tempo com os livros de filosofia, mas acho que são essenciais para serem lidos. Sua resenha ficou linda! Bem escrita, bem detalhada.
    E até para quem nunca gostou muito do estilo ia gostar!!


    Beijinhos

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?

    Esse livro com certeza é um dos clássicos que estão na minha lista para serem lidos.

    Adorei o que você disse sobre ele, só me deixou com mais vontade ainda de ler.
    Achei interessante o fato de você ter relido para fazer a resenha, seria algo que eu também faria se estivesse nessa situação.

    Amei sua resenha. Parabéns pelo trabalho.

    Abraço
    Ingrid Cristina
    Plataforma 9¾

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem?
    Eu li algumas páginas desse livro na escola e gostei bastante, mas até hoje não consegui ler o livro todo e apesar de não ter o costume de ler clássicos, eu quero muito ler esse livro algum dia. É muito bacana os assuntos que o autor aborda e realmente na maioria das vezes os culpados não são esses meninos que roubam. Enfim, é um livro que tenho certeza que é ótimo e vale a pena, por isso é uma das minhas metas de leitura.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bom?

    Assim como você, me lembro de ter lido esse livro há alguns anos. Primeiramente na escola e depois para o vestibular. Não me lembro muito da história, então eu também preciso reler esse livro, pois lembro de gostar muito na época. As pessoas, as vezes, tem preconceitos com livros que tem obrigação de ler na escola, mas alguns são realmente incríveis e dá pra perceber o motivo para o qual todos tem que ler. Jorge Amado, como sempre, arrasa <3

    Obrigada pela dica ;)

    Beijos.

    http://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Ola Lindona eu não li ainda esse livro, seria uma boa pedida para ler clássicos com sua indicação, confesso que me espanta que o livro escrito em 1937 revele nos tempo de hoje os mesmo problemas ou seja não houve evolução, paramos no tempo com certos problemas triste de acompanhar esse retrocesso. Vou ler para ter uma posição mais concreta sobre o tema. sua resenha ficou ótima. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  20. Oi,
    Primeiramente vamos fazer um momento de silêncio para minha vergonha na cara que acabou de morrer. Genteee, eu nunca li nada de Jorge Amado, pelo amor de Deus, esse autor é meu conterrâneo e por isso não há nada no mundo que justifique essa minha falha. Já ouvi falar desse livro milhares de vezes, mas essa é a primeira vez que paro para ler do que realmente se trata e me pareceu uma leitura e tanto, vou providenciar pra ontem, já que vergonhosamente não tenho nada dele aqui em casa :/

    Abçs
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir

Google+ Followers