Resenha: O Silêncio das Montanhas


Título: O Silêncio das Montanhas
Autor: Khaled Hosseini
Editora: Globo Livros/Editora Globo
Páginas: 350
Sinopse
Dez anos depois do aclamado “O caçador de pipas”, o escritor afegão Khaled Hosseini volta à cena literária com “O silêncio das montanhas”. O romance traz como protagonistas os irmãos Pari e Abdullah, que moram em uma aldeia distante de Cabul, são órfãos de mãe e têm uma forte ligação desde pequenos. Assim como a fábula que abre o livro, as crianças são separadas, marcando o destino de vários personagens. Paralelamente à trama principal, Hosseini narra a história de diversas pessoas que, de alguma forma, se relacionam com os irmãos e sua família, sobre como cuidam uns dos outros e a forma como as escolhas que fazem ressoam através de gerações. Assim como em O caçador de pipas, o autor explora as maneiras como os membros sacrificam-se uns pelos outros, e muitas vezes são surpreendidos pelas ações de pessoas próximas nos momentos mais importantes. Segundo o próprio Hosseini, o novo título “fala não somente sobre a minha própria experiência como alguém que viveu no exílio, mas também sobre a experiência de pessoas que eu conheci, especialmente os refugiados que voltaram ao Afeganistão e sobre cujas vidas tentei falar tanto como escritor quanto como representante da Organização das Nações Unidas. Espero que os leitores consigam amar os personagens de “O silêncio das montanhas” tanto quanto eu os amo”. Seguindo os personagens, mediante suas escolhas e amores pelo mundo – de Cabul a Paris, de São Francisco à Grécia –, a história se expande, tornando-se emocionante, complexa e poderosa. É um livro sobre vidas partidas, inocências perdidas e sobre o amor em uma família que tenta se reencontrar.




            Quando estava fazendo minha graduação, em uma determinada disciplina estudamos sobre uma palestra ministrada por Chimmanda Adichie sendo o tema “O perigo de uma única história”. A palestrante falava sobre uma única visão, a mesma ressalta a gravidade de acreditar exclusivamente em uma verdade e no peso que a palavra poder transmite.

 Poder é a habilidade de não só contar a história de uma outra pessoa, mas de fazê-la a história definitiva daquela pessoa.

A gravidade em se ver tudo por um único modelo é cruel, mas antes disso não havia pensado de tal forma. Podemos usar como exemplo a cultura do Brasil, onde para todos os estrangeiros somos um povo festivo, que ama carnaval, futebol, praia e mulatas. Na prática a realidade não é bem assim, afinal não me encaixo nesse padrão. Outro exemplo é o continente africano, onde todos acham que é composto por países pobres, inundados em misérias, falando dialetos dentre outras características, sendo que se aprofundarmos sobre os comportamentos, costumes e hábitos de seus habitantes seremos apresentados à outra realidade.

“A única história cria estereótipos. E o problema com estereótipos não é que eles sejam mentira, mas que eles sejam incompletos. Eles fazem um história tornar-se a única história.

            Essa introdução enorme foi pra dizer que gosto dos romances de Hosseini, pois ele sempre nos apresenta um fator diferente do que os retratados pelas mídias sobre o Afeganistão. Ele mostra um lado mais humano, onde pessoas de “bem” tentam levar uma vida digna, quebrando preconceitos e estereótipos e que mesmo com todo o caos histórico de seu passado tentam viver.
            Dentre os três romances dele publicados esse não foi o melhor, entretanto compreendi totalmente suas narrativas, e não acho que tenha deixado a desejar. Esse especialmente conta as dificuldades e a dor da separação de dois irmãos quando ainda eram crianças, do sacrifício em se tomar decisões e em como vidas estão entrelaçadas.
            Embora a obra seja composta por toda uma explanação, sem cronologia e contada por diferentes visões, achei agradável e emocionante. Percebi duas versões nesse estilo de escrita, o primeiro é que se consegue ter uma percepção melhor dos personagens, já que cada elemento presente é observado em diferentes olhares. A segunda é que infelizmente os capítulos são extensos, mesmo acrescentando informações importantes no contexto em alguns momentos se tornava cansativo, o que não significa que o livro é ruim.
            A estória não está centrada nos protagonistas (Pari e Abdullah), mas é possível compreender que decisões afetam a vida de todos que estão próximos, que caminhos se cruzam, e que a vida é uma dádiva, um presente, uma caixa que coleciona acontecimentos que serão essências para a nossa velhice, e toda essa bagagem fará a diferença nos anos vindouros. Literalmente tudo que plantamos colhemos, nossas ações são reflexos de atitudes presentes e passadas, e todo comportamento amável é a referência para bons frutos. A mensagem de Khaled é apenas uma: não existem verdades únicas sobre o Afeganistão e o seu povo merece todo o reconhecimento pelas lutas diárias e pela esperança de um futuro melhor. Acho que esse ensinamento pode ser estendido para todos os povos que são reprimidos por governos déspotas, humilhados pela carência social e expostos pela parcialidade de comportamentos desumanos.
            Enfim, aconselho essa obra, portanto não esqueçam que toda a compreensão depende de um ponto de vista, e que todo final têm a sua importância. Se surpreenda, abra esse porta joia e mergulhe na realidade retratada de forma fictícia, contendo um povo heroico e sonhador.

“Quando alguém vive tanto quanto eu, (...) crueldade e benevolência são tonalidades da mesma cor.” (p.21)
“Uma história é como um trem em movimento: não importa onde embarquemos, cedo ou tarde estaremos fadados a chegar ao nosso destino.” (p.72)
“Só estou dizendo que é grosseiro publicar boas ações num quadro de aviso. Há coisa que é melhor fazer em silêncio, com dignidade. Ser generoso é mais do que assinar cheques em público.” (p. 127)
“ A beleza é uma dádiva imensa e imerecida, distribuída aleatória e estupidamente.” (p.284)
“Mas o tempo é como um encantamento, a gente nunca tem quanto imagina.” (p. 331)



Comente com o Facebook:

35 comentários:

  1. Eu já li esse livro e faz um tempinho, por isso não me lembro de alguns detalhes. Apesar disso, sei que é uma leitura bem válida, assim como o autor escreve maravilhosamente. Espero poder reler novamente. Eu indico muito esse livro!
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Adorei sua resenha!! *___* Vai ficar comigo por um bom tempo! Desde o lançamento desse livro quero lê-lo, mas sabe quando tudo faz com que você se distancie de algo? É o que acontece comigo e esse livro e, ai, você faz essa resenha linda que me fez recordar do quanto gosto desse autor e das histórias que ele conta! *___* Obrigada!

    Leitora Compulsiva
    http://olhoscastanhostambemtemoseufascinio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Meu pai leu esse livro recentemente eu achou uma leitura maravilhosa e sempre me pede para ler. É a primeira resenha que eu livro dele e acho que é uma leitura que me faria muito bem, achei os trechos que você separou bem interessantes. Acho que o autor é um grande sábio e transmite a sabedoria através do livro.

    ResponderExcluir
  4. Oi, eu amo o Khaled HOsseine e gostei demais deste livro, talvez dseja o mais fraco dele, mas ainda assim, é um livro muito bom. Acho que o objetivo do autor era falar dos campos de refugiados e das consequências que uma decisão pode ter. Adorei os quotes que você compartilhou, me deu vontade de reler o livro.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oiie, tudo bem?

    Eu não conhecia esse livro do autor, mas devo confessar que gostei muito, como gostei/amei O Caçador de Pipas. Acho a escrita do autor e como ele aborda excelente, que faz a gente prender de uma maneira que não tem como não gostar. Espero muito poder ler esse livro. Obrigada por me apresentar.

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Ainda não li o autor, mas minha irmã é bem fã e esse livro já está na lista de leituras dela para nosso desafio. Eu gosto muito da capa desse livro e hostaria de conhecer a escrita do autor
    Beijos

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi
    Tudo bom?
    Nao conhecia esse livro, mas ele parece ser bem interessante.
    Vou adicionar a lista
    Obrigada pela dica
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Eu tenho O Silêncio das Montanhas, mas ainda não li. Gosto muito dos livros do Housseini. São densos e tocantes, me fazem relefrir chorar aos montes rsrs. Muito bem recomendado e achei muito bacana a sua enorme introdução rsrs. Me deixou ainda mais curiosa pra conhecer a história de Pari e Abdullah.
    Bjo
    www.viciadosemleitura.blog.br

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Gostei muito da sua introdução e tenho que concordar com você, o autor faz exatamente isso.
    Não acho, também, que seja o melhor livro do autor, mas achei MUITO bom, tanto que o favoritei. A história de Pari e Abdullah foi muito tocante pra mim e deixou uma marca em minha mente e coração.
    Gostei muito da forma como você escreveu.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  10. Olá, já vi muitos comentários sobre esse livro.
    Bons comentários, uma amiga leu e disse que gostou muito, mas não é um livro que eu leria, por não chamar muito minha atenção embora aborde temas importantes e tenha uma boa premissa, mas não é meu gênero.
    Os quotes que você escolheu são maravilhosos, eu amei mesmo.
    Sua resenha ficou ótima, muito bem estruturada. Se um dia eu ler o livro te conto o que achei.

    ResponderExcluir
  11. Olá, sabe que apesar de todo mundo me dizer que esse livro é muito bom, eu não sinto vontade em lê-lo? seilá mas talvez não esteja na minha hora com ele ainda, então por isso a falta de vontade. Mas com certeza mais para frente quero dar uma chance a ele!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Bem, eu adoro livro que desconstroem estereótipos. A literatura é um meio de comunicação que ensina, abre a mente das pessoas. Eu sinceramente não conhecia o livro, mas a sua resenha me pegou bem no fundo do coração. Eu adorei a premissa e com certeza um livro bem único e que merece ser lido a apreciado. Sinto que aprenderei muito com ele. Anotada a dica ;)

    beijo!

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    Eu ainda não li algum livro do autor, mas me chamou a atenção do que comentou quando o autor procura passar o lado humano das pessoas, aqueles que apenas querem viver a sua vida sem machucar ninguém. Uma trama bem interessante, e agora quero conferir.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  14. Olá *--*

    Só vejo maravilhas sobre as estórias do autor e essa estórias é a que me chama atenção. Mesmo você não ter gostado tanto desse creio que a leitura seja maravilhosa e super valida, espero mudar logo isso e conferir de perto e ter minhas impressões.

    Bjo
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Ola confesso que a premissa do livro não me chamou atenção no momento, deve ser o fato quer ando lendo muito romances onde as emoções transbordam abertamente, e sei que a escrita desse autor é calma porém intensa. Dessa vez vou deixar passar a dica para ler em outro momento. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  16. Desde de O Caçador de Pipas tenho vontade de ler alguma coisa do Hosseini. Acredito que sues livros sirvam mais para trazer uma reflexão aos leitores do que uma simpl~es história comovente.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  17. Parabéns pela resenha! Acho que você conseguiu dar suavidade e sensibilidade à sua opinião sobre o livro. Ainda não li nada do autor, mas essa obra está entre as que desejo conhecer, especialmente sabendo que ele conseguiu abordar a realidade do Afeganistão de um ponto de vista que a mídia geralmente não revela.

    Beijos!
    www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oi, sabe aqueles livros que meio que te dão medo de ler por achar muito pesado? esse é um deles! assim como O Caçador de Pipas, que é triste, esse parece ser também...

    tua resenha está maravilhosa, mas...sei lá, essa dica eu passo desta vez...

    bjs

    ResponderExcluir
  19. Oioi!
    Ainda nao li o livro de Khaled Hosseini, O Caçador de Pipas, e nao sabia que tinham lançado outro livro do autor.
    Acho que eu iria gostar dos romances escritos por ele, e saber que ele mostra um lado mais humano dos personagens me deixa mais animada de ler logo.
    Gostei demais da forma q apresentou o livro e com certez me animou a conhecer o livro e demais trabalhos do Hosseini.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  20. Acreditar em uma única verdade acredito eu ser perigoso e torna o coração ainda mais cheio de ódio e Preconceito.
    Claro que quando pensamos nesses países do Oriente como o Afeganistão logo vem a cabeça guerra, bombas, terrorismo... Porém esquecemos que lá existem milhares de vidas e que bem todos são iguais... E que existem pessoas que sofrem com toda essa situação do país.
    Fiquei muito interessada nesse livro e tenho certeza que vou ler ainda mais por saber que o tema que ele aborda mos traz reflexões sobre o ser humano em geral.
    As vezes.eu me assusto com tanta violência e atrocidade da nossa espécie. As vezes dá medo!
    Bj
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  21. Dá para entender as obras do autor porque ele traz para as páginas um sentimento incrível e que mesmo que possa chocar, tendo temas reais mas que muitas vezes não fazem parte do nosso dia a dia, quando lemos temos uma noção do quanto aquilo pode ser mais forte e o quanto pode modificar o ser humano.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  22. Oiee ^^
    Eu achei esse livro incrível, e ele mexeu bastante comigo, mas não é a minha obra favorita do autor. Mesmo tendo gostado, achei a narrativa arrastada em alguns momentos, e o livro não me trouxe tantas emoções como eu achei que traria. Eu tenho tanta esperança de que os afegãos e todos os outros povos que hoje sofrem com guerras e conflitos tenham um futuro melhor, mas a cada dia que passa fica mais difícil acreditar nisso :/
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. OI! consegui ler a resenha, mas tem alguma coisa na configuração que faz as letras ficaram girando. Acho que pode de o fundo cinza. atrás das me deixaram confusas em algumas partes. Mas a história parece ser interessante. Vou procurar mais informações sobre a obra para lê-la. Agradeço a dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooii!!! Obrigado por me avisar, entretanto entrei em dois notebook e não vi. Deve ser o seu navegador, bjs.

      Excluir
    2. Oi Flor! retornei hoje. Peço desculpa. O problema era mesmo aqui no meu pc. Hoje consegui ler direitinho! <3 gostei mesmo da história. Acho que vou dar uma chance!

      Um abraço!

      Excluir
  24. Para ser honesta não conhecia o livro ,mais já li o caçador de pipas e A cidade do sol sol do autor e gostei bastante, depois de ler sua resenha O silencio das montanhas certamente entrara para minha lista. Gosto muito do fato do Khaled nos mostrar este outro lado do Afeganistão um lado mais humano diferente do que estamos acostumados a ver por ai.

    ResponderExcluir
  25. Olá!

    Eu gosto do autor e me emociono com os livros, mas esse para mim não foi o favorito, apesar de ter gostado bastante.
    O que não ajudou muito foi realmente os capítulos extensos, tenho um pouco de dificuldade com isso.
    Mas claro que recomendo e muito.
    Sua resenha ficou perfeita!

    bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Esse é um livro onde tenho e não tenho vontade de ler, li O caçador de pipas e amei, mas esse não sei, me falta coragem talvez. Resenha ficou perfeita, fiquei de boa aberta.

    ResponderExcluir
  27. Esse livro não faz muito o meu tipo para uma leitura mais de entretenimento, mas as bandeiras que ele levanta são realmente muito boas, fiquei bem curiosa sobre a palestra que você mencionou ao introduzir a resenha, eu adoraria ver!

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Oi
    Confesso que tenho muita vontade de conhecer a escrita do autor.
    Achei a temática muito interessante. Temos uma visão fixada do que é o afeganistão e é bom ver uma outra perspectiva.
    Adorei a dica.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  29. Oie!!
    Sempre ouvi falar desse livro, assim como sempre ouvi falar do autor. Tenho muita vontade de ler pelo menos uma de suas obras, porém fico meio com receio. Acredito que se eu não ler no momento certo, posso vir a não gostar de leitura.
    Enfim parabéns pela resenha.
    bjs

    ResponderExcluir
  30. Olá;

    Conhecia os dois, tanto o livro quanto o autor. Ainda não li "O caçador de pipas" e nem esse livro, mas tenho vontade de ler os dois, mas a oportunidade ainda não chegou. Algum dia ainda vou ler os dois.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  31. Ahhhhh Eu quero muito esse livro!!

    Uma amiga minha me mostrou ele há um tempo atrás, mas ainda não tive a oportunidade de ler. Tenho o Caçador de pipas aqui em casa, mas o fato de algumas pessoas comentarem que é muito triste me deixa meio receosa, mas acho que vou enfrentar esse medo de me machucar e começar a leitura por ele.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  32. Olá!

    Já ouvi muito falar nesse livro. Porém, nunca li uma resenha sobre, nunca me interessei o suficiente para isso, está é a primeira que leio, e percebo que esse livro não é pra mim. Sei que muitas pessoas gostaram, mas não faz o meu estilo.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Google+ Followers